PALESTRA

Palestra

DEMANDAS DO PRESTE, DO CATAIO E DE SHAMBHALA

Nove séculos de procura, de mito e de iniciação

Mandala-de-Shambhala2

Do séc. XII ao séc. XX é perseguida uma demanda com cariz mais ou menos exterior, de lugares e de figuras, vistas quase sempre como míticas mas, por outro lado, ligadas a pessoas e factos históricos bem precisos, sejam elas os enigmáticos Melquisedeque – o misterioso rei de justiça e de paz, iniciador de Abraão nesse “mistério” do pão e do vinho, o não menos misterioso Prestes João das Índias – esse rei-sacerdote designado “Rei-dos-reis”, dito mesmo ser “descendente dos Reis Magos, que no séc. XII escrevera para reis, imperador e o próprio papa ou, ainda, o não menos místico Rigden Gyelpo – o Rei de Shambhala, referido no Ocidente, no séc. XX.
Assim, desde esse remoto séc. XII em que surgiram as primeiras referências a esse Preste(s) João e a seu fabuloso Reino, a seus objetos mágicos e às suas cartas, que uma certa Europa começou atentar encontrar esse reino visto como cristão e daí o interesse adicional de um eventual apoio “oriental”, contra os muçulmanos. Porém, só três séculos mais tarde, já no séc. XV, o Governador da Ordem de Cristo, o nosso Infante D. Henrique, tudo fez para conseguir informações mais detalhadas sobre a localização desse misterioso reino…

pelo Engº

António Teixeira

no

sábado, 19 de Maio de 2018, pelas 15 horas

Entrada livre

Morada: Rua António Sérgio nº 3 A, Algueirão/Mem-Martins

Localização no Google Maps

Planta de localização

Comments are closed