A COMUNIDADE PORTUGUESA DE EUBIOSE

PRIMEIROS GRUPOS PÓS-CISÃO

Em Setembro de 1973 foi constituído um novo núcleo eubiótico em Lisboa, que veio a denominar-se M.E.S.A., Movimento Eubiótico dos Servidores de Aquário. Este núcleo expandiu-se e trabalhou semanalmente até Abril de 1975.

Em 1976 veio a formar-se um novo grupo denominado Confraria dos Eubiotas de Kurat, com sede na Vila Eugénia em Sintra. Elaborou regulamento próprio, elegeu um Órgão Coordenador reunindo regularmente e produziu ensinamentos escritos distribuídos aos membros. Mas os tempos ainda não eram propícios e acabou por terminar inesperadamente.

A FUSÃO DAS INSTITUIÇÕES PORTUGUESA E BRASILEIRA

Na mesma altura em que a Confraria dos Eubiotas de Kurat reunia na Vila Eugénia, reunia também em Sintra, na Casa dos Avelares, a delegação portuguesa da Instituição Brasileira, a Sociedade Brasileira de Eubiose, denominada “Grupo de Teatro 5”. Saídos há pouco de uma ditadura, os grupos não tinham ainda regularizado a situação que os havia obrigado a viver na clandestinidade.

Em 1977 o Irmão Mário Lino Casimiro da Silva, coordenador da delegação portuguesa da Sociedade Brasileira de Eubiose, contacta o Irmão Olímpio Gonçalves no sentido de ser estudada uma plataforma de entendimento entre os dois grupos. Deu-se, desta forma, início em Fevereiro de 1978 a um conjunto de reuniões regulares entre representantes dos dois grupos que conduziria à formação da Comunidade Portuguesa de Eubiose.

A Eubiose em Portugal estava, de novo, unificada.

Do documento de 12 páginas relativo ao processo de fusão, publicamos a capa e as 3 primeiras actas em que fica decidido a designação “Comunidade Portuguesa de Eubiose”, como face externa da Ordem de Kurat, e a 1ª página dos Estatutos legais. As outras actas deste documento, relatam os procedimentos para a fusão dos dois grupos, os regulamentos adoptados, e procedem à nomeação dos membros para a estrutura interna e para o Conselho de Administração (designado Órgão Coordenador).

1978_Processo_-fusao_1

1978_Processo_-fusao_2

A LEGALIZAÇÃO DA COMUNIDADE PORTUGUESA DE EUBIOSE

Tendo iniciado a actividade pela Lua Cheia de Wesak de 1978, só no ano seguinte, em 21 de Junho de 1979, pelo Solstício de Verão, alguns dos membros dirigentes formalizam por escritura pública no Notário de Sintra a criação da Comunidade Portuguesa de Eubiose.

DR1979.8.20_n191_Page_9234

Deste acto mostramos a página do Diário da Republica de então e a foto tirada pelos signatários da escritura à saída do Notário de Sintra: Olímpio Gonçalves, Jorge Gomes, Mário Lino, Manuel Gandra e António Tavares (da esquerda para a direita).

escritura_cpe_notario

Em Junho de 2016 a Comunidade Portuguesa de Eubiose, como estrutura legal cumpriu 37 anos.

Desde o primeiro contacto com o Mestre, estabelecido pelos Irmãos Anciãos, 60 anos se passaram.

Comments are closed