A Organização

Tracemos um breve quadro da estrutura da COMUNIDADE PORTUGUESA DE EUBIOSE – PRIORADO SINÁRQUICO EUBIÓTICO DA LUSITÂNIA.
Como fórmula organizativa que se propõe agrupar num ideal comum pessoas das mais diversas índoles, ela não poderia deixar de pautar a sua estrutura pela do modelo Sinárquico. É este modelo que enquadra a Instituição como um Priorado, a sua orgânica interna, que se caracteriza caracterizada pela completa e absoluta distinção dos órgãos representativos da Autoridade e do Poder.
No seio da Comunidade, o plano do Poder referencia-se em três órgãos:
– O Conselho Administrativo – assume a gestão da Comunidade;
– Os Estados Gerais – com funções deliberativas eleitorais;
– O Conselho Jurídico / Fiscal – exerce a sua acção fiscalizadora.
Salientemos, pela sua importância fulcral em todo o funcionamento da Comunidade, o Conselho Administrativo.
As suas actividades estendem-se desde as questões de Secretariado – elaboração e distribuição de material de estudo (monografias, instruções, opúsculos, etc.) pelos elementos das três Câmaras, que se encontram dispersos por todo o país – até à actividade editorial – com a publicação de textos e livros reputados de interesse e acessíveis aos seus membros a preços reduzidos – passando pela gestão financeira, documentalista e cultural, na qual se inclui a promoção de conferências, reuniões temáticas para membros, visitas de estudo, etc.
A objectivação do modelo Sinárquico no seio da Comunidade consagrou, tal como consta dos seus estatutos internos, uma estrutura trinitária na qual se posicionam todos os seus membros. Surgem assim três Câmaras:
– Câmara Externa – constituída pelos membros neófitos;
– Câmara do Meio – formada pelos membros que obtiveram aproveitamento nos graus precedentes e se preparam para o ingresso num estágio superior, tal como o nome sugere;
– Câmara Interna – à qual poderão ascender todos os membros que postularam todos os graus e personifiquem as qualidades espirituais adequadas.
No plano da Autoridade três órgãos se destacam:
– Colégio de Estudos – cuja missão é supervisionar e dirigir o programa de ensino, ligado portanto ao aspecto Escola;
– Corpo de Dignitários – cujas atribuições se projectam numa dimensão puramente Templária.
– Colégio Iniciático – Que congrega os membros do último grau da Câmara Interna.

Comments are closed